jusbrasil.com.br
19 de Agosto de 2019

Biblioteca em Movimento incentiva o “desapego” de obras literárias

Defensoria Pública de Tocantins
há 4 anos

Que tal visitar a 9ª edição do Salão do Livro do Tocantins, adquirir novas obras literárias e aproveitar para “desapegar” das antigas? Pela primeira vez na história, o evento provoca em seus visitantes a doação de obras literárias, por meio de uma iniciativa do projeto “Biblioteca em Movimento”, da DPE-TO – Defensoria Pública do Estado do Tocantins. Desde o último sábado, 19, as prateleiras do estande da Instituição aos poucos estão sendo preenchidas com a colaboração de pessoas das mais diversas idades e também de editoras participantes do evento.

É o caso do responsável pela editora Educacional, Irineu Vezário, que doou livros para o estande da DPE-TO. “Estamos vivendo uma época onde o livro está sendo trocado pelo avanço da tecnologia. Portanto, toda iniciativa que busque resgatar o hábito da leitura é louvável e esse da Defensoria Pública é um deles, não fiz nada mais do que o meu papel nesse processo de incentivo à leitura”, conclui.

Assim como Vezário, muitas pessoas estão visitando o Salão do Livro e aproveitando para doar obras literárias para o projeto Biblioteca em Movimento, que será disponibilizado para a comunidade de baixa renda dos Núcleos Regionais da DPE-TO, nas cidades de Araguatins, Tocantinópolis, Araguaína, Guaraí, Paraíso, Palmas, Porto Nacional. O estande da Defensoria Pública está em funcionamento até o dia 27 de setembro, de 10 às 21 horas, e é o 71 B, localizado ao lado da rampa que dá acesso ao Espaço Jovem. Além de incentivar a literatura junto aos Assistidos, as doações serão importantes para implantar o projeto Biblioteca em Movimento nos Núcleos Regionais de Gurupi e Dianópolis.

Abertura

O defensor público geral, Marlon Costa Luz Amorim, esteve presente na abertura do evento, no sábado, 19, que contou também com a presença do governador Marcelo Miranda, e do secretário estadual de Educação e Cultura, Adão Francisco, dentre outras autoridades e a população em geral. Para o Defensor Público Geral, a população tocantinense ganha muito com o retorno do Salão Livro. “É um espaço que, além de fazer circular conhecimento, cultura, e lazer, movimenta a economia do Estado, abre oportunidades para profissionais, artistas e escritores da Região”, considera.

Segundo ele, a presença da Defensoria Pública na 9ª edição do Salão Livro possibilita o fortalecimento do projeto Biblioteca em Movimento, que tem como objetivo aprimorar o atendimento humanizado aos nossos Assistidos. “Pela primeira vez incentivamos os visitantes que frequentam o Salão do Livro a compartilhar conhecimento, incentivar a leitura, por meio da doação de livros e assim colaborar com o acervo da DPE-TO. As obras arrecadadas contribuirão para que mais pessoas tenham acesso aos livros”, conclui.

Movimentar e desapegar

No “Biblioteca em Movimento”, que tem como mote “Conhecimento que fica, livro que segue”, os Assistidos têm a seu dispor obras dos mais diferentes gêneros e podem pegar o livro e, após lê-lo, deixar em qualquer local público ou passar a obra para outra pessoa, com o intuito de fazer “circular” o conhecimento. O Projeto é mantido por meio de doações de pessoas, empresas e instituições, e todo o acervo fica à disposição dos Assistidos da Defensoria Pública, dispostos em prateleiras nos corredores da Instituição.

O projeto existe desde novembro de 2013, e já passaram mais de 10 mil obras literárias nas prateleiras disponíveis nos corredores de atendimentos. Porém, a doação de novas obras deve ser constante, visto que a procura é grande e as prateleiras precisam sempre de reposição. O acervo do projeto é bem diversificado, com obras de diversas áreas do conhecimento, que atendem a todos os gostos.

Texto: Cinthia Abreu e Rose Dayanne Santana



0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)